Quando falamos em ansiedade, logo vem em nossas mentes a juventude, ávida por abraçar o mundo, quebrar os paradigmas, revolucionar as regras, questionar o atual e mais outras tantas vontades inerentes a quem está entrando no jogo da vida. É difícil numa conversa você não escutar as histórias da juventude irreverente de cada um de nós.

Com o tempo, e numa espécie de exaustão, acabamos por nos render a tantas variáveis necessárias e barreiras impostas por sistemas ou regras geridas por aqueles que desbravaram as matas e foram aos poucos criando os obstáculos durante a jornada. Muitos até em resposta à covardia daqueles que gostam de trilhar as picadas já abertas pelos desbravadores sem um mínimo de respeito ou até mesmo humildade.

Logo no início percebi que, em poucas palavras, aqueles mais experientes viviam lições profundas consolidadas por expressões muito inteligentes. Uma delas foi: “a diferença entre os sábios e os espertos” (aquilo me intrigou). “Os espertos são aqueles que durante a jornada aprendem com os seus próprios erros e os sábios são aqueles que aprendem com os erros dos outros”. Diante desta colocação defini que me esforçaria para ser esperto e sábio frente à vida.

Entendi também que qualquer construção necessita planejamento, alicerce compatível, prévio cronograma para os acontecimentos, é claro com muito plano de contingência, pois se existe uma coisa que é certa, é que muita coisa não dará certo no caminho. Nada melhor que refletir um segundo sobre a história dos três porquinhos para perceber que mais fazemos como se aquilo nada tivesse  a ver com a nossa vida.

Hoje não entendo a minha ansiedade como negativa, pois acordo todos os dias inclinado ao futuro, à frente, tenho fome do novo, da transformação do original, esteja lá em que estágio estiver, mas tenho a consciência de que grande parte dos movimentos frente aos objetivos não está sob o nosso controle e aí mora um grande desafio, o de como motivar e entusiasmar pessoas aos esforços comuns.

Diretamente não tenho como não correlacionar ansiedade, resultados e objetivos às questões da liderança, seja de uma empresa, um projeto ou mesmo uma simples intenção. É a capacidade dos atributos de um líder de equipe ou a sua própria liderança que orientará o controle dos anseios dos grupos e principalmente os seus.

Se perguntar para qualquer colaborador à minha volta qual seria uma das principais características do Marcelo, não tenho dúvida que a ansiedade sempre estaria presente mesmo com todos os meus esforços para que isto não atrapalhe tanto a minha vida. Aprendi a controlá-la, mas continuo comendo massa de bolo crua.

Informe seu e-mail:
ME INSCREVER

Receba meus artigos diretamente no seu e-mail

Se mantenha atualizado, assim que postar um novo artigo no blog você será avisado.
close-link