Olhares rápidos são como flashes dos nossos ideais, são pequeninos sonhos desenhados como imagens a ser vividas.

A vida responde àquilo que estamos emitindo, àquilo que estamos pedindo a partir do ponto em que acreditamos realmente, em que realmente temos fé, certeza e convicção.

Ela dá respostas positivas àqueles que realmente querem uma oportunidade de mostrar o seu potencial, desenvolver habilidades e colocá-las à prova, tendo a coragem de se expor diante de seus adversários. Somente as competições definem os verdadeiros vencedores e campeões.

Se você quer realmente vencer, abra os olhos todos os dias e olhe para trás: perceba o quanto cresceu, quantos aprendizados já foram colocados a sua frente, quanto já caminhou…

Pense em suas conquistas materiais, pessoais e profissionais, em quantos amigos conquistou, em quantas pessoas dependem da sua existência…

Encha seu peito de orgulho, segurança, autoestima, força e reconhecimento. Pronto! Após isso, levante-se da cama, olhe no espelho, bem dentro de seus próprios olhos, e decida o papel que irá exercer naquelas próximas horas. Avalie o seu armário: suas roupas estão adequadas a suas buscas? Seus sapatos representam a real aparência que você deseja causar para a conquista de suas metas?

Num outro rápido olhar, considere aquele dia como único, o dia em que você será melhor do que foi em todos os dias que se passaram. Redobre a atenção àqueles com quem convive, expresse-se com mais clareza, eloquência, verdade e entusiasmo. Acredite que as varas colocadas na água da lagoa de sua vida irão ciscar e que algumas já têm os peixes presos nos anzóis.

Parece até bobeira, texto de autoajuda, mas vejo que as pessoas estão perdendo muito tempo pensando no dia “D”, querendo que alguém as ajude, esperando uma oportunidade que nunca chega, trabalhando sem um sentido claro, criticando ambientes e lideranças.

Temos de partir do princípio de que ninguém ajuda ninguém; de que oportunidades não acontecem, são criadas; de que, se alguém pode fazer alguma coisa por você, este alguém não é o outro, mas sim você mesmo.

Às vezes você vence uma batalha, mas nem sempre vence uma guerra. Se você está desmotivado, olhe para trás… se está superconfiante, olhe para frente. Não somos tão fracos a ponto de sermos os últimos, como também não somos tão bons a ponto de ignorarmos os adversários.

A vida não deixa ninguém ser herói para sempre: ela nos permite chegar aonde pretendemos, mas não nos apossar do que atingimos. Em outras palavras: todos podem, todos têm a chance, mas jamais alguém será possuidor eterno de suas conquistas. Poderá, sim, conforme seus feitos, ser glorificado por um período e ter a sua marca na história depois.

Sempre acreditei na persistência como grande aliada. Podemos não conseguir em um dia, um mês, um ano, mas, se tivermos convicção e treinarmos mais do que nossos próprios limites, chegará um dia que alcançaremos o que buscamos. Entendo que a crença deva ser o grande propulsor de nossas buscas. Sem crença jamais existirá vitória.

Sempre que me vejo com o início de um sentimento de desmotivação, rapidamente volto no tempo e procuro me segurar nas cordas que me trouxeram até onde cheguei, e que sempre estão a meu lado: crença, fé, obstinação, determinação, vontade, garra, afinco, força. São valores que não se desgastam com o tempo, não são modismos, não envelhecem nem caem em desuso, não são mensuráveis nem comercializados, não dependem de idade, credo ou raça. Valores são valores, criados por quem os queira adotar e deles desfrutar os melhores resultados.

Por isso, jamais devemos deixar de exercitar os rápidos olhares, diariamente, pois podem ser praticados em qualquer hora e qualquer lugar.

Cada um de nós tem seu jeito próprio de olhar, único, e a partir dele pode extrair conclusões e atitudes a serem tomadas em qualquer situação, boa ou ruim.

Informe seu e-mail:
ME INSCREVER

Receba meus artigos diretamente no seu e-mail

Se mantenha atualizado, assim que postar um novo artigo no blog você será avisado.
close-link