Foi na minha adolescência (após os meus dezesseis anos), que eu pude conhecer a vida como ela é: sem rodeios, suporte ou amparo alheio. Um teste doloroso, porém enriquecedor, que me ajudou a fortalecer cada vez mais meus laços internos.

Escolher ser um líder foi uma imposição desta mesma vida. Um caminho que encontrei para dar início a minha jornada, espelhando-me em tudo o que acreditava ser correto, íntegro e idôneo.

Aos poucos, e com muito aprendizado, fui moldando, desenhando, redefinindo velhos conceitos e agregando novos valores para que, um dia, eu pudesse ser um bom líder. Alguém capaz de inspirar as pessoas ao meu redor a percorrerem seus caminhos buscando um propósito definido, buscando um sentido.

Ao longo do meu trajeto, trouxe comigo uma bagagem valiosa formada por pessoas que, por algum motivo, se aproximaram e se identificaram com as minhas crenças e valores. Muitos deles já se foram, seguindo seus próprios caminhos, alguns retornaram, e outros tantos, ficaram. Pessoas valiosas, para quem eu sempre procurei dar o meu melhor sendo honesto, justo, coerente e acima de tudo, ajudando para que pudessem dar um significado próprio às suas vidas. Posso dizer que eu conheci muita gente, e acredito que, de alguma maneira, pude tocar os seus corações.

Hoje, diante desta pandemia que está tirando nosso sono, tenho refletido muito e me perguntado, e acredito que vocês também, sobre algumas questões importantes: Por onde andamos em todos estes anos? O que fizemos, e como temos tratado nossos semelhantes, o mundo ao nosso redor, e como também estamos sendo tratados por eles?

Neste momento, líderes serão testados, cobrados, não por seus chefes ou c-levels, mas pela própria vida. Um exame de consciência, existencial.

O tempo urge por respostas a tantas questões. E para que possamos responder a cada uma delas, será necessária a ação, expondo a confiança à prova.

O líder será exigido como nunca fora, em nenhum outro momento.

Durante todos estes anos, eu tive fé de que a confiança seria o meu pilar central, e que ela seria o condutor do meu trabalho como líder para que o grupo pudesse crer em minhas ações.

Hoje, no mundo, o que está em jogo é algo que eu sempre respeitei em minha vida: O ser humano! Seus sonhos, segurança, crenças, dignidade, amor, respeito e o direito de seguir adiante.

Não acredito que seja um simples acaso o fato de todo este acontecimento, estar ocorrendo em meio a Páscoa, que representa o renascimento de Jesus que se sacrificou para nos dar uma nova oportunidade existencial. Uma nova oportunidade com Deus.

Que nestes dias, todos nós possamos refletir sobre a oportunidade que, de alguma maneira, a vida está nos dando para que possamos rever nossos conceitos, passando a amar com mais sinceridade, e abrindo as portas do perdão e dos valores mais caros em nossas vidas. Valores ameaçados diante deste verdadeiro caos.

Há muito que eu assumi este papel como líder. Irei honrá-lo com todas as minhas forças para que juntos, possamos vencer esta fase amenizando as feridas e a dor.

Confio e amo plenamente o ser humano, e sei que encontraremos saídas para vencer esta jornada.

Tudo passa, e esta fase também vai passar. Não sei se imediatamente, como gostaríamos, mas vai passar, acreditem!

Vai passar!

Feliz Páscoa a todos vocês, a seus familiares, amigos, e a todos que amam.

Informe seu e-mail:
ME INSCREVER

Receba meus artigos diretamente no seu e-mail

Se mantenha atualizado, assim que postar um novo artigo no blog você será avisado.
close-link