Você sente-se desanimado ou está apenas desmotivado?

Existe uma nítida percepção de que as pessoas andam mais cabisbaixas, macambúzias. Semblantes cerrados já são um pouco esperados em épocas de crises pelos motivos mais variados. Na realidade, quem de nós nunca esteve nessa situação? Inevitavelmente, ela faz parte das nossas vidas.

Ao observar tantos rostos nesse estado, tentei trazer para a frente uma reflexão sobre dois sentimentos que costumam, infelizmente, ser comuns em nossas vidas, o desânimo e a desmotivação.

O que mais chama minha atenção é constatar que muitas pessoas não conseguem distinguir com clareza as diferenças entre estar desanimado e estar desmotivado. Espero, com minha reflexão sobre o assunto, poder oferecer àqueles que não estão muito certos sobre essas diferenças alguns insumos para que possam, quem sabe, compreender melhor a questão, identificar as causas e achar caminhos para resistir com lucidez, e sair dessas tão temidas e tristes situações emocionais.

Primeiramente, fui buscar a raiz destas duas palavras.

Etimologia de desânimo

Vem de des- mais ânimo, do latim animus, “alma, coragem, desejo, mente”, relacionado a anima, “ser vivo, espírito, coragem, disposição”, derivado do Indo-Europeu ane-, “assoprar, respirar”. Percebemos que desânimo é algo mais incorporado ao nosso interior, aquilo que vem de dentro, da nossa vivacidade, do nosso vigor, ligado a saúde plena, disposição em querer fazer.

É fácil identificar o desânimo em momentos que antecedem um resfriado, ou em um período muito longo sem uma alimentação adequada. Quando nos sentimos sem vibração, descrentes em si mesmo. Numa profunda falta de forças interiores com uma sensação de total estagnação.

Etimologia de desmotivação

Vem de des- mais motivação, do latim movere, “deslocar, fazer mudar de lugar”, e dos termos associados motus, “movido”, e motio, “movimento”.  No caso da desmotivação, podemos identificar a falta de um motivo em si, um ponto a perseguir, um norte a seguir, algo que sua busca e encontro nos tornará recompensado.

Algo capaz de motivar nossas mais profundas forças para alcançar os objetivos almejados. Ter motivação é ter propósitos que nos movam e que sejam capazes de persistir indefinidamente, ser capaz de ignorar o impossível.

Ânimo e motivação são parceiros da vitória, do sucesso, uma dupla explosiva capaz de promover feitos impressionantes, por isso tratá-las de maneira independente deve ser uma tarefa constante, pois isoladas não chegam a perder suas forças, mas se fragilizam quando comparada à intensidade decorrente de sua união.

A clareza de suas diferenças e uma compreensão mais ampla de ambas podem nos fornecer mais foco nos eventuais momentos de fraqueza e assim, certamente, nos ajudarão a superar esses momentos.

Agora que entendemos um pouco melhor as diferenças entre desânimo e motivação, mãos à obra: vamos ter mais cuidado com a saúde interior e rumar ao encontro das motivações, para podermos nos reencontrar e equilibrar nossas mais profundas forças.

Deixe um comentário