Quando me deparo com estes dois temas, primeiro procuro traduzir o que está por trás de cada um.

A superação tem por impulso natural a necessidade frente à própria vida, o que para alguns, às vezes tarda a chegar em função do berço e das proteções ocasionais e, para outros, por serem expostas as dificuldades da vida logo no começo.

A independência é como se fosse a conquista do Olimpo, para 10 em cada 10 pessoas. Com certeza este se encontra no topo da pirâmide dos desejos.

Tratando-se de Brasil, parece ser comum a sequência destas buscas . No meu caso, por um destino da vida, vivenciei as duas situações pois até os 15 anos tive toda proteção, apoio e base e, mais do que de repente, a vida se transformou e um grande vazio se abriu aos meus pés. Os detalhes não fazem parte deste texto.

O que me motivou a escrever, foi tentar dimensionar a diferença de energia e impulso provocada por uma situação de necessidade (superação) e em outra, de desejo (independência).

É muito comum e até previsível que a maior de todas as buscas dos jovens em fase adulta, digo dos 18 aos 30 anos, seja a independência em suas vidas. A busca pela liberdade total os provoca a cada instante, porém, quando se trata de segurar a corda com garra e afiar os dentes para esta conquista, nem sempre a vontade se equipara à determinação.

Já no caso da superação, na busca das necessidades primárias da vida, é mais comum identificarmos o chamado sangue nos olhos em jovens e adultos, que não medem esforços para prover sustento às suas famílias e, dependentes, não soltam a corda frente às necessidades emergentes, até porque, soltar a corda pode significar o fim, o medo, o retorno e o sofrimento.

Já convivi e também vivenciei intensidades de todos os graus nestas duas buscas, e posso afirmar que se conseguisse tangibilizar estes níveis, seria muito prático demonstrar aos desejantes da independência o quanto precisariam se esforçar para ter êxito em sua busca.

O apático querer, que normalmente encontramos na busca pela independência, salvo algumas exceções, é insignificante perante à raça, persistência e determinação daqueles que buscam a superação.

Independência não é necessidade, mas sim um desejo. Pode ser que por este motivo, grande parte dos aspirantes ao trono dos independentes não compreendem o tamanho da energia necessária para alcançá-la.

A necessidade é sim uma propulsora da energia e da garra e, aqueles que não compreenderem este sentido na busca pela independência, terão grandes dificuldades para chegar ao Olimpo.

Querer, desejar, ter vontade não são suficientes para a jornada rumo a independência, mas tenho muita convicção que, arregaçar as mangas, otimizar e focar os esforços no objetivo, estudar e cavar oportunidades entre outras atitudes, podem e muito, colaborar na jornada.

Se é independência que você almeja, inspire-se naqueles que se superaram em algumas situações e extraia deles o conhecimento e atributos necessários para sua conquista.

Achar que merece ou que está fazendo o suficiente pode ser uma grande utopia.

Refletir sobre estes temas, poderá esclarecer alguns resultados que às vezes achamos negativos por parâmetros unicamente pessoais, os ditos paradigmas que tanto nos bloqueiam.

Informe seu e-mail:
ME INSCREVER

Receba meus artigos diretamente no seu e-mail

Se mantenha atualizado, assim que postar um novo artigo no blog você será avisado.
close-link